Pais de Marielle lamentam afastamento da promotora do caso: “Covardia o que fizeram com ela”

O pai e a mãe da vereadora Marielle Franco, morta em circunstâncias ainda sob investigação, lamentaram a saída da promotora Carmen Eliza Bastos da investigação sobre os assassinatos da vereadora e do motorista Anderson Gomes.

A promotora pediu afastamento após ter fotos em que declara voto a Jair Bolsonaro divulgadas na imprensa.

“Foi covardia o que fizeram com ela. Independente de quem ela vote ou partido que apoie, o trabalho dela sempre foi pautado pela isenção. Somos testemunhas disso. Infelizmente, apesar do nosso apelo para ela continuar à frente das investigações e da ação penal, não nos ouviram”, disse Antônio Francisco da Silva Neto, pai de Marielle, ao Jornal O Globo.

Relacionados:  PT quer celeridade no caso Marielle mas não exige o mesmo no caso Celso Daniel

A mãe de Marielle também lamentou. Marinete Silva disse ao jornal que o afastamento da promotora “foi uma perda” nas investigações sobre a morte da filha.