Mourão defendeu a reação enérgica de Bolsonaro: “Foi atingido de forma desleal”

General Mourão

Presidente em Exercício, General Hamilton Mourão, comentou sobre o suposto depoimento do porteiro que cita o presidente da República, Jair Bolsonaro, no inquérito que investiga o assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Mourão afirmou que o depoimento é muito fraco e não prova nada: “Acho que não era o caso de ter feito o escândalo todo que foi feito.”, afirmou o General.

“Não dá pra derrubar o governo dessa forma, mas que perturba o andamento do serviço, como se diz na linguagem militar, perturba.”, argumentou.

O vice-presidente também defendeu a reação de Bolsonaro: “Quando a pessoa é atingida de forma desleal, e sabe muito bem que não tem nada a ver com o processo, a pessoa se sente triste. Sente-se enraivecida. Acho que o presidente reagiu com bastante calma até.” e concluiu: “Esse assunto é um assunto que não sustenta um interrogatório normal desse cidadão aí. Eu não quero entrar em outros detalhes, porque o inquérito está sendo conduzido pela polícia do Rio de Janeiro e a gente sabe que a polícia do RJ, parte dela, está envolvida nesse crime.”

Relacionados:  Bolsonaro sobe o tom e diz que manifestantes de grupos “antifascistas” são terroristas e marginais

Fonte: Estadão