Aumento de empregos e crédito faz mercado rever projeção do PIB para cima

O Brasil está dando muitos sinais de recuperação econômica, o aumento de vagas de trabalho registradas e a melhoria no crédito, além da queda dos juros fez projeções do mercado financeiro aumentarem a previsão do aumento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro este ano.

Segundo o Estadão, no início do ano as projeções para o PIB estavam abaixo de 1%. Agora, porém, esse quadro parece que começa a mudar mais uma vez.

A melhora em alguns indicadores importantes, como criação de empregos e aumento no crédito, vem transformando o humor dos analistas, diz o Jornal.

Há duas semanas, o Itaú eklevou sua estimativa de crescimento da economia este ano de 0,8% para 1% – havia pelo menos três anos que o banco não elevava o número projetado, o mesmo ocorreu no Safra, que alterou sua projeção de 0,8% para 0,9%. “Pode parecer pouco, mas é uma diferença significativa. No fim de julho, esperávamos 0,8%, mas achávamos que podia ser até 0,5%. Agora, temos 0,9%, mas pode ser mais que isso”, diz o economista-chefe do banco, Carlos Kawall. Votorantim e Bank of America também dão sinais de que reverão seus números para cima. Hoje, eles têm 0,7% e 0,8%, respectivamente.

Relacionados:  Governo repassa mais de R$ 157 milhões para a compra de máscaras, luvas e equipamentos de proteção

O Boletim Focus, elaborado pelo Banco Central e que reúne projeções de bancos e consultorias, indica que o mercado estima alta de 0,88% para 2019. Em agosto, a previsão era 0,8%. Os números mostram que, embora ainda distante de uma arrancada forte, a economia pode estar começando a ganhar tração.

Um dos indicadores que mostram isso é o de empregos. Os dados do Caged  apontam que o saldo de vagas formais no País foi positivo por seis meses consecutivos. No acumulado do ano, são 761,7 mil vagas de emprego criadas pela equipe de Bolsonaro. Segundo cálculos das instituições, uma alta de 2% no PIB é compatível com a criação de até 900 mil postos de trabalho formal no ano.

Fonte: Estado de S. Paulo