Nem Greta, nem cacique Raoni. Nobel da Paz 2019 é concedido a Primeiro Ministro da Etiópia

Após rumores de que a militante ambientalista Greta Thumberg e o líder indígena Raoni eram supostamente os favoritos ao Prêmio Nobel da Paz 2019, o título acabou ficando para o Primeiro-ministro da Etiópia, Abiy Ahmed Ali.

O líder africano foi premiado por conseguir um acordo de paz com a Eritreia. Além disso, outro ponto destacado que fez com que Ahmed vencesse o prêmio, foi a sua luta por igualdade entre homens e mulheres na sociedade etíope.

O governante de 43 anos de idade constava entre os nomes mais cotados pelas bolsas de apostas para receber o prêmio; contudo, aparecia em piores colocações do que a sueca ambientalista de 16 anos, Greta Thunberg. O cacique brasileiro Raoni Metuktire lançado ao prêmio pelo Cantor Sting também estava cotado.

Grupos de esquerda haviam também feito campanha por Lula, ex-presidente, hoje preso por corrupção e lavagem de dinheiro.