UNE é investigada por bancar festas e bebidas com verba que era destinada à cultura

Segundo reportagem do site Metropoles, O Tribunal de Contas da União começou a analisar na última reunião do órgão a prestação de contas que coloca em suspeição a “boa-fé” da cúpula da UNE. A entidade estudantil é alvo de processo no TCU por usar parcela dos recursos públicos oriundos de convênios com o Ministério da Cultura para bancar festas, bebidas e pagar contas domésticas – com a participação dos seus dirigentes.

Em um dos casos, representantes da UNE aplicaram de forma indevida parte do R$ 1,5 milhão que deveria ser empregado na promoção de atividades culturais para comprar uísque, cerveja, vodca, vinho, isotônicos, energéticos, chocolates e produtos de higiene pessoal. Até contas de energia elétrica e água eles quitaram com a verba carimbada. Em outra demonstração de mau uso do dinheiro público, eles apresentaram notas fiscais de diárias em hotel do Rio de Janeiro no valor de R$ 5,3 mil.

A UNE não se deu ao trabalho de camuflar as irregularidades. Em gesto considerado amador, ou desrespeitoso com o tribunal, os estudantes entregaram notas fiscais de produtos que nada tinham a ver com o objetivo dos eventos. “Teria sido melhor não apresentar nada do que apresentar isso”, ressaltou o relator do processo, ministro Benjamin Zymler.

Os membros do plenário do TCU disseram ao site Metropoles que irão votar pela reprovação das contas da UNE e pedir o ressarcimento de R$ 1.485,000,00 aos cofres públicos.