UNE é investigada por bancar festas e bebidas com verba que era destinada à cultura

Segundo reportagem do site Metropoles, O Tribunal de Contas da União começou a analisar na última reunião do órgão a prestação de contas que coloca em suspeição a “boa-fé” da cúpula da UNE. A entidade estudantil é alvo de processo no TCU por usar parcela dos recursos públicos oriundos de convênios com o Ministério da Cultura para bancar festas, bebidas e pagar contas domésticas – com a participação dos seus dirigentes.

Em um dos casos, representantes da UNE aplicaram de forma indevida parte do R$ 1,5 milhão que deveria ser empregado na promoção de atividades culturais para comprar uísque, cerveja, vodca, vinho, isotônicos, energéticos, chocolates e produtos de higiene pessoal. Até contas de energia elétrica e água eles quitaram com a verba carimbada. Em outra demonstração de mau uso do dinheiro público, eles apresentaram notas fiscais de diárias em hotel do Rio de Janeiro no valor de R$ 5,3 mil.

Relacionados:  Ministro da Educação 'destroça' deputada comunista

A UNE não se deu ao trabalho de camuflar as irregularidades. Em gesto considerado amador, ou desrespeitoso com o tribunal, os estudantes entregaram notas fiscais de produtos que nada tinham a ver com o objetivo dos eventos. “Teria sido melhor não apresentar nada do que apresentar isso”, ressaltou o relator do processo, ministro Benjamin Zymler.

Relacionados:  Hostilizado em evento da UNE, Ciro responde "O Lula ta preso, babaca!"

Os membros do plenário do TCU disseram ao site Metropoles que irão votar pela reprovação das contas da UNE e pedir o ressarcimento de R$ 1.485,000,00 aos cofres públicos.