Oposição quer suspender campanha sobre o Pacote Anticrime de Moro

Integrantes de partidos que fazem oposição a Bolsonaro e que integram o grupo que analisa o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro na Câmara dos Deputados ingressaram nesta quinta-feira (3) com ação no TCU (Tribunal de Contas da União) contra a campanha publicitária do governo para alavancar o apoio à medida.

Na representação,  os deputados Orlando Silva (PC do B-SP), Paulo Teixeira (PT-SP) e Marcelo Freixo (PSOL-RJ) ressaltam que o pacote anticrime é ainda um projeto de lei, não uma política pública ou programa de governo em andamento que justifique campanha publicitária.

– Conforme tem sido noticiado pelos veículos de imprensa, os integrantes do referido grupo de trabalho têm aprovado alterações ao texto original do projeto de lei encaminhado pelo Governo Federal, com vistas à sua adequação ao que dispõe a Constituição, à jurisprudência do Supremo em matéria de direitos e garantias fundamentais, bem como em atenção às recomendações de dezenas de especialistas.

– À toda evidência, a extemporânea e milionária campanha publicitária já iniciada em torno das medidas propostas no famigerado ‘Pacote Anticrime’, tem como motivação dissimulada constranger os deputados e deputadas a não acatarem as contribuições que ainda serão oferecidas pelo grupo de trabalho à deliberação do plenário.

A petição lembra ainda que, segundo o jornal O Globo, a campanha publicitária tem custo estimado em R$ 10 milhões.

Relacionados:  Moro articula com senadores e votação da prisão em 2ª instância deve ocorrer nesta quarta