Gilmar Mendes proíbe investigação sobre Glenn Greenwald

O ministro Gilmar Mendes resolveu aceitar um pedido da Rede e proibiu a Polícia Federal, o Coaf e outros órgãos de apuração de investigar Glenn Greenwald pelo recebimento das mensagens obtidas de modo criminoso, possivelmente adulteradas e divulgadas de modo a atacar a Lava Jato.

Para Gilmar há “fundada suspeita sobre a instauração de investigações sigilosas”, e isso seria uma “tentativa de supressão de trabalho jornalístico de interesse nacional”.

“É corolário imediato da liberdade de expressão o direito de obter, produzir e divulgar fatos e notícias por quaisquer meios. O sigilo constitucional da fonte jornalística (art. 5º, inciso XIV, da CF) impossibilita que o Estado utilize medidas coercivas para constranger a atuação profissional e devassar a forma de recepção e transmissão daquilo que é trazido a conhecimento público”.

Com informação dO Antagonista.