Ligações entre traficantes do Rio de Janeiro e grupo terrorista Hezbollah são denunciadas por Witzel

Uma ligação bastante inusitada, porém não surpreendente, acaba de surgir à tona.

A confirmação surgiu após a prisão de Elton Leonel Rumich, conhecido como Galant, apontado como chefe do Comando Vermelho e do PCC, que chegou a oferecer R$ 7 milhões para não ter objetos de posse apreendidos.

Após isso, conforme as investigações foram avançando, algumas coisas foram ficando mais claras. Recentemente, Wilson Witzel, governador do Rio, afirmou que o tráfico carioca tem ligações com o grupo terrorista libanês Hezbollah.

“Há sim empresas, como não poderia deixar de ser, que estão lavando dinheiro do tráfico de drogas. E há indícios do relacionamento das facções com grupos terroristas, mas essa fase da investigação ainda está incipiente porque talvez precise de uma integração com a Polícia Federal. Provavelmente são grupos terroristas como o Hezbollah”, disse ele.

O delegado Fabrício Oliveira, que comanda a DESARME (Delegacia Especializada em Armas e Explosivos), solicitou ao COAF um relatório das pessoas que estiveram realizando transações financeiras com Galant, e a resposta do órgão foi uma surpreendente lista de 30 mil nomes, dentre eles terroristas investigados por lavagem de dinheiro para o tráfico na tríplice fronteira (Brasil, Paraguai e Argentina).

Com informação da Jovem Pan e do Renova Mídia.