Doleiro entrega Gleisi em repasse de R$ 3 milhões e MP envia delação à PGR

O Ministério Público de São Paulo enviou para a PGR a delação do doleiro Adir Assad que afirmou ter repassado R$ 46 milhões a operadores políticos, entre eles Gleisi Hoffmann e o marido Paulo Bernardo.

O dinheiro repassado teria saído de concessionárias do grupo CCR, e Renato Vale, ex-CEO da CCR, confirmou as informações fornecidas pelo doleiro.

O chefe de gabinete de Paulo Bernardo teria sido enviado pelo petista a uma reunião com o diretor do grupo, José Roberto Meirelles, com quem teria acertado o repasse de R$ 3 milhões.

As entregas teriam sido feitas a Ernesto Kugler Rodrigues, empresário já citado por outros delatores na Lava Jato do Paraná. Gleisi negou ter recebido propina.

Para fins de curiosidade, conforme destacou O Antagonista, Adir Assad é um dos citados na última matéria de Glenn Greenwald, mais conhecido como Verdevaldo, para a Veja.

 

6 Comentários em Doleiro entrega Gleisi em repasse de R$ 3 milhões e MP envia delação à PGR

  1. É óbvio que a ladra, vagabunda, desonesta, mau caráter da amante, diria que se trata de uma invenção do doleiro delator. É inacreditável constatarmos como somente os políticos petistas são perseguidos por todos aqueles que firmam pactos de delacão premiada, até mesmo uma politica insignificante da laia de Gleisi Hoffmann, uma deputadazinha de bosta se acha a última bolacha do pacote, alguém a ser perseguida, não se tocou ainda que ela e seu carguinho são o mesmo que nada, vem servindo apenas para garantir-lhe um provisório fôro privilegiado e só. Cadeia nessa vadia !!!
    #LULANACADEIA

  2. Tudo bem, a denuncia contra esta tal de Gleise, não obstante, enquanto ela tiver foro privilegiado de nada adianta, vai ficar engavetado e só Deus sabe se esta impia terá o castigo mais do que merecido em algum dia neste cavernoso Brasil, aonde o império dos corruptos ainda predomina em todos os lados, podem estar com as pernas meio quebradas, mas com os privilégios que possuem são praticamente inatingíveis.

Deixe uma resposta