Bolsonaro quer reintegrar cubanos que ficaram no Brasil ao Mais Médicos

O governo de Jair Bolsonaro está estudando uma forma de reintegrar os 2.000 cubanos que não voltaram para Cuba ao programa Mais Médicos.

Até agosto deverá ser editada uma MP com as mudanças. Os cubanos deverão atuar no programa por dois anos no SUS e terminado esse prazo, precisariam passar por revalidação de diploma.

O próprio ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, já havia declarado que o tema é estudado pelo governo desde março.

Com informação da Folha.