Barroso sobe o tom e acaba com contribuição sindical na folha de pagamento

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF, cassou a medida que permitia cobrança de contribuição sindical direto na folha de pagamento dos trabalhadores.

A decisão já havia sido tomada pelo STF, mas vinha sofrendo diversas decisões judiciais que afastavam sua aplicação, mas para Barroso, interpretar a cobrança em folha de pagamento como uma vontade individual do trabalhador é uma forma de esvaziar as decisões do STF.

Relacionados:  Do STF, Ministro Barroso detona "euforia dos corruptos" com supostos vazamentos da Lava Jato

“Salvo se o trabalhador for sindicalizado, o Supremo decidiu, uma vez mais, dar concretude à garantia constitucional da livre associação sindical, de modo que ninguém é obrigado a filiar-se ao sindicato, previsto no inciso V do artigo 8º da Constituição”, disse ele.

A MP 873/2019 proíbe a cobrança em folha e determina que o pagamento só pode ser efetuado por boleto bancário e com autorização expressa de cada trabalhador.

Relacionados:  Ministro Barroso faz alerta ao próprio STF: "Não podemos destruir as instituições"

Com informação do CONJUR.