Folha admite que ‘mensagens’ vazadas pelo Intercept podem ter sido obtidas de modo criminoso e não valem como prova

Ao que parece, a Folha de S. Paulo resolveu rever o posicionamento.

Para o jornal, em seu editorial desta quarta-feira, as mensagens atribuídas a membros da Lava Jato não mostram nenhum conteúdo ilícito e não tiveram sua autenticidade confirmada.

Além disso, as mensagens podem ter sido obtidas de modo criminoso, o que automaticamente as torna inválidas judicialmente.

“Por fim, e não menos importante, ainda não se atestou a autenticidade das mensagens, que de resto talvez tenham sido obtidas de forma criminosa. Da ilegalidade dessa prova decorreria sua inutilidade do ponto de vista jurídico”, diz o jornal.

Com informação da Folha e da Agência Caneta.