Bolsonaro diz que vai recorrer de absolvição de Adélio: “Circo armado”

O presidente da República, Jair Bolsonaro, que em setembro de 2018 foi atacado brutalmente por um ex-membro do PSOL, passou por poucas e boas, não só durante a campanha eleitoral, mas também mesmo depois de vencer a corrida e tomar posse do cargo para o qual foi democraticamente eleito.

Agora, após a Justiça ter absolvido o ex-PSOL autor da facada, sob pretexto de insanidade mental por parte do autor, Jair não ficou nada contente, como era de se esperar, visto que a insatisfação tomou todos os brasileiros de bem, que exigem a solução deste crime bárbaro.

“O circo armado [é] que, a partir deste momento, se não houver recurso e [o processo] for transitado em julgado, se caso o Adélio queira falar quem pagou a ele para tentar me assassinar, não tem mais valor jurídico, ele é maluco”, disse Bolsonaro, segundo relata o G1.

“Agora, se fosse o contrário, o que estariam pensando a meu respeito? Então, a gente sabe que o circo é armado. Tentaram me assassinar, sim. Eu tenho a convicção de quem foi, mas não posso falar, não quero fazer o prejulgamento de ninguém”, concluiu o Presidente.

Com informação do G1.