Petista arrependido: Mano Brown diz que após criticar PT foi abandonado pela esquerda

Presidential candidate Fernando Haddad (L) and his vice-president candidate Manuela D'avila (C) observe as Brazilian singer Mano Brown talks during a rally in Rio de Janeiro, Brazil October 23, 2018. REUTERS/Ricardo Moraes

O rapper Mano Brown, líder do grupo Racionais MCs, sempre teve ligações com o Partido dos Trabalhadores. No entanto, durante as eleições de 2018, provavelmente surpreso com o entendimento conservador que brotou nos brasileiros, principalmente nas classes mais baixas, o rapper decidiu fazer críticas ao partido em um evento: “Se não está conseguindo falar a língua do povo, vai perder mesmo”.

Hoje, meses após o ocorrido, e de fato, com o partido tendo sido escorraçado das urnas, Brown voltou a falar sobre o momento: “Eu tive vários sentimentos em relação àquilo. Até de arrependimento, não vou mentir. Lógico que ali foi uma navalha na carne, doeu em mim também.”

Relacionados:  Bolsonaro quer acabar com a farra da UNE nas mãos do PT e PCdoB

“Quando a direita me atacou em peso na minha rede social por causa daquela foto e a esquerda se calou, falei: ‘Opa, estou sozinho'”, relata Brown.

“Tem que respeitar, é uma eleição. Assim se elege um presidente, com votos. Elegeram o outro presidente. Eleição acabou, bola para frente. Continuo sendo brasileiro, não sou alemão, não vou sabotar meu país, não vou cavar para cair, não vou pôr o pé na frente para ver cair, mesmo porque a navalha vai cortar para o lado mais fraco. Estamos passando por um processo político delicadíssimo, porque esse lance da reforma pode sobrar para os velhinhos e aí vai ser injustiça em cima de injustiça”.

Relacionados:  Lava Jato é a favor da venda do 'sítio de Lula' em Atibaia

Com informações do UOL