Senador esquerdista que atravessou fronteira para falar com Maduro é contra o Brasil acolher venezuelanos

O governo Bolsonaro, sabendo do caos instaurado na Venezuela por conta do ditador Maduro, resolveu liberar o crédito extraordinário de R$ 223 milhões para ajudar os refugiados que chegam em Roraima.

O senador esquerdista Telmário Mota, defensor ferrenho de Dilma, chamou a ajuda de “infeliz” e se posicionou de modo contrário à ideia do Brasil acolher refugiados Venezuelanos.

Ainda em abril, Telmário chegou a cruzar a fronteira da Venezuela, e de lá trouxe uma suposta carta do ditador Maduro, pedindo ajuda ao Senado brasileiro para abrir a fronteira.

Com informação dO Antagonista.