Moro detona Duvivier: “As declarações de baixo nível falam mais sobre o ofensor do que sobre mim”

O ministro Sergio Moro deu uma aula de liberdade de expressão ao comediante psolista Gregório Duvivier, que no começo de abril se mostrou bastante exaltado em um evento ‘Lula Livre’.

No episódio, Duvivier atacou Moro com tantas ofensas, que o promotor Luciano Held Junior, enviou um oficio ao ministro para lhe informar que cabia um processo de injúria.

Agora foi a vez de Sergio Moro responder, e obviamente, a resposta doeu mais que um processo.

“Reporto-me a mensagens sugerindo providências contra declarações ofensivas contra mim exaradas por suposto comediante em um evento político-partidário “Lula livre”. Bem, penso que as declarações de baixo nível falam mais sobre o ofensor do que sobre mim.

Sou daqueles que ainda acreditam na liberdade de expressão e na de imprensa. “O debate de assuntos públicos deve ser sem inibições, robusto, amplo e pode incluir ataques veementes, cáusticos e algumas vezes desagradáveis ao Governo e às autoridades governamentais.” (SC US, 1964)

A resposta às críticas injustas da imprensa ou das redes sociais não pode jamais ser a censura ou o controle da palavra. Deve ser o aprofundamento do debate, o livre intercâmbio da idéias. O esclarecimento e não o silêncio.

Relacionados:  Bolsonaro deixa claro o que o Brasil já sabe: "Ninguém forjou provas nessa questão do Lula"

Claro, tal liberdade não abrange ameaças. Não significa também que concordo com excessos ou ofensas a quem quer que seja, mas apenas que, para essas, não acredito que o remédio seja a censura.

No ponto, bom lembrar que não fosse a vitória eleitoral do Pr Jair Bolsonaro, estaríamos hoje sob “controle social” da mídia e do Judiciário e que estava expresso no programa da oposição “democrática”. Aliás, Jair Bolsonaro reafirmou hoje o compromisso com a liberdade da palavra.”