Eduardo Bolsonaro desmonta tese da mídia e critica ação que terminou com músico alvejado

Em uma entrevista para o Zero Hora, Eduardo Bolsonaro criticou a ação de homens do Exército na qual um músico, Evaldo Risa dos Santos, teve o carro alvejado por 80 tiros no Rio e faleceu.

O deputado, muito sensato, declarou que a situação toda é um “fato lamentável, muito triste” e criticou os militares envolvidos, que segundo ele “não seguiram o protocolo de progressão da força que nos é ensinado também na academia de polícia”.

Eduardo Bolsonaro, passando uma forte rasteira nas mentiras da mídia, ainda lembrou que o caso está sob investigação e que os envolvidos sofreram prisão disciplinar.

“Você não verá ninguém passando a mão na cabeça de ninguém, caso tenha cometido um erro. Pra quem comete um erro, existe a lei”, deixou claro o deputado.

Eduardo ainda foi questionado sobre a ausência de manifestação do pai, e prontamente deu mais uma rasteira na mídia: “O presidente também lamenta. Pode ter certeza disso. Assim como também lamenta as outras 62 mil mortes por ano [por homicídio]. Certamente, a gente tem de mudar isso”.

De fato, tentar empurrar para o presidente Bolsonaro a conta de um homicídio é no mínimo criminoso, pois, a maior bandeira levantada pelo ainda candidato Jair Bolsonaro, foi a segurança do cidadão brasileiro.

Com informação do Zero Hora e dO Antagonista.