Desembargadora derruba decisão de juíza e permite celebração de 1964

A desembargadora Maria do Carmo Cardoso, corregedora da Justiça Federal da 1ª Região, derrubou a decisão da juíza Ivani Silva da Luz, da 6ª Vara da Justiça Federal em Brasília.

A decisão de Ivani suspendeu os atos em ‘comemoração’ ao 31 de março de 1964, marcado como inicio do Regime Militar no Brasil.

“Constato, ademais, que a nota divulgada pelo Ministério da Defesa, já amplamente veiculada pela imprensa, não traz nenhuma conotação ou ideia que reforce os temores levantados pelos agravados, de violação à memória e à verdade, ao princípio da moralidade administrativa ou de afronta ao estado democrático de direito”, afirmou a desembargadora na decisão.

Com informação dO Antagonista.

2 Comentários em Desembargadora derruba decisão de juíza e permite celebração de 1964

  1. Mais uma paulada na cabeça desses ratos miseráveis que queriam e querem implantar uma ditadura comunista no Brasil, pois assim se rouba mais dinheiro. Organizações Criminosas como CV, PTralhas, PCC, (P)MDB, TCP, PSOLixo, PDTrapaçeiros, PCdaBaboseira, DEMercenários precisam ser detidas implacavelmente.

  2. 31/03/1964 É UM DIA HISTÓRICO, CONSTA DOS ANAIS DA HISTORIA MODERNA DO
    BRASIL, PARA OS HONESTOS TRABALHADORES COMO O DIA DA LIBERTAÇÃO DO
    PAIS DO COMUNISMO, PARA OS COMUNISTAS, ASSALTANTES DE BANCO, TERRORISTAS
    COMO O DIA EM QUE TIVERAM QUE PRESTAR CONTA DE SEUS ATOS CRIMINOSOS,
    EU VIVE TODO O GOVERNO MILITAR E SOU TESTEMUNHA OCULAR DA HISTÓRIA,
    FORAM OS MELHORES ANOS DO BRASIL E DO POVO TRABALHADOR, SÓ BANDIDOS
    E TERRORISTAS E OS CHAMADOS INTELECTUAIS DISFARÇADOS FORAM PRESOS
    PELO REGIME,POIS NÃO ERAM NADA MAIS NADA MENOS QUE COMUNISTAS.

Deixe uma resposta