Comandante do Exército reforça orgulho de 1964: “Temos que agradecer aqueles que impediram o comunismo no Brasil”

O Comandante do Exército, Edson leal Pujol, afirmou que as Forças Armadas não se arrependeram de ter impedido a implantação do comunismo no Brasil.

“Se arrependem? Do 31 de março? Não”, disse ele em entrevista concedida ao UOL.

Primeiramente, Pujol precisou, inclusive, contextualizar o fato. “Você usou o termo celebração. Não, é uma lembrança do que aconteceu antes e durante aquele período” explicou para o entrevistador.

Após, o comandante questionou se o mesmo tratamento é dado aos partidos de esquerda que continuam a celebrar e festejar guerrilheiros comunistas. “Vocês perguntam se os partidos que defendem [os guerrilheiros Carlos] Lamarca, [Carlos] Marighella, guerrilha urbana, guerrilha rural, fizeram atentados a banco, a bomba, mataram pessoas, sequestraram, fizeram atentados a pessoas inocentes, vocês fazem essas perguntas?”.

E continuou: “Nunca fizeram. Quando vocês perguntarem pro outro lado, a gente responde isso. Quer ver outra pergunta? Vocês estão fazendo um escarcéu danado. Todos os anos teve isso. Em 2017, no Congresso, celebraram 100 anos da Revolução Russa. Alguém fez alguma coisa?”

“Lembrar o 31 de março? Que o povo brasileiro, a imprensa, os políticos não queriam que fosse implantada uma ditadura comunista aqui no Brasil… Isso nós temos que agradecer àquelas pessoas que impediram isso. Inclusive, instigados por países de movimentos de fora do país”.

Com informações do UOL.