Ministro Vélez expõe desespero da grande mídia: “não podem barganhar às custas de trocas de favores”

Um episódio bastante vergonhoso manchou ainda mais a imagem da mídia brasileira nesta quarta-feira.

Alguns dos grandes veículos e canais de imprensa noticiaram a demissão do ministro da Educação, Ricardo Vélez, mas, sim, era mentira. Sendo um movimento calculado ou apenas um engano não muda a gravidade do erro. A imprensa não deve se pautar numa fonte mal informada ou numa posição ideológica somente para atacar uma liderança democraticamente eleita, seja no Executivo, seja no Legislativo, e quanto isso acontece, a mídia perde a credibilidade, como ocorre hoje.

Rapidamente, o Presidente da República usou as redes sociais para desmentir mais uma notícia falsa, a mais grave desde então. Em seguida, o próprio ministro da Educação, Ricardo Vélez, expôs o motivo de tanto desespero para a grande mídia, que perdeu o poder de barganha com o governo em troca de notícias brandas e favoráveis.

Disse ele: “O jornalismo brasileiro se põe raivoso por estar, pela primeira vez, sem poder barganhar às custas de trocas de favores. Meu compromisso é com os brasileiros e seus representantes. Os veículos que busquem outras fontes de financiamento.”