Deputada petista Erika Kokay vira ré em investigação por desviar salário de assessora

A Justiça do Distrito Federal aceitou a denúncia e tornou ré a Deputada Federal de extrema-esquerda Erika Kokay (PT). Ela é acusada de desviar o salário de uma assessora que trabalhou no gabinete da parlamentar entre 2006 e 2007.

Segundo a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) – apresentada em dezembro de 2017 – a deputada apropriou-se indevidamente de parte do salário da funcionária.

Ao todo, R$ 14,9 mil teriam sido repassados para contas bancárias de Erika Kokay e do então chefe de gabinete dela, Alair José Martins Vargas. A reportagem tenta contato com a defesa do citado.

Por causa do foro privilegiado da deputada, o caso tramitava no Supremo Tribunal Federal (STF) mas, em maio do ano passado, uma decisão do ministro Marco Aurélio Mello remeteu o processo à Justiça do DF.

A petista  também é investigada por propriação de imposto sindical e recursos públicos do Sindicato dos Bancários. O processo foi aberto pela entidade e, segundo a deputada, cita cerca de R$ 48 mil. Kokay presidiu a entidade na década de 1990.

Erika Kokay honra o DNA petista.