Vídeo postado por Bolsonaro revela herança comportamental da era petista

Os últimos acontecimentos revelam qual é o nível moral do Brasil neste momento. O Presidente Jair Bolsonaro postou um vídeo contendo uma prática pouco saudável em que dois “foliões” fazem atos obscenos, onde um deles urina na cabeça do outro.

Acontece que a grande mídia resolveu criticar o presidente pela mensagem. Já ficou bastante claro que a mídia vai usar de qualquer subterfúgio para atacar Bolsonaro e sua equipe, então não é de surpreender que estejam atacando o mensageiro para proteger a mensagem.

O mais impactante no vídeo é compreender a canalhice dos grandes canais de mídia, que tratam como normal “um folião urinando na cabeça de outro” com claros objetivos sexuais. Não é de hoje que o Carnaval se tornou uma festa onde é permitido fazer de tudo. Enquanto isso, as práticas familiares, saudáveis, ficam cada vez mais restritas, pois nenhuma família em sã consciência levará seus filhos para um bloco onde acontece tamanha devassidão.

Relacionados:  Primeiro ano de Bolsonaro se inicia com queda de 25% nos homicídios

É importante perceber o duplo padrão que a imprensa pratica quando quer atacar alguém. Para a rede social Instagram, onde é expressamente proibido postar fotos que contenham nudez, salvo apenas para fotos de masectomia e amamentação, porém, é comum encontrar fotos que tenham teor de protesto, principalmente encabeçado por atrizes famosas em campanhas feministas. Quanto ao Twitter, onde é permitido postar vídeos e imagens pornográficas desde que devidamente sinalizado, no entanto, a mídia chegou a afirmar que “a rede tem baixa tolerância com conteúdo erótico”.