Para Governo, MST “não existe” e o diálogo com a entidade é encerrado

Conforme noticiado anteriormente pelo República de Curitiba, Bolsonaro nomeou o General Jesus Corrêa para comandar o INCRA, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária.

Logo após isso, o General deu o recado de que daria fim à “farra dos sem-terra lá no INCRA”, que não teriam mais o poder de influenciar as decisões do Instituto.

Agora, conforme informa a Folha de S. paulo, o novo ouvidor agrário nacional do INCRA, o Coronel João Miguel Souza Aguiar Maia de Sousa, declarou que as superintendências do órgão não mais receberão entidades ou representantes “que não possuam personalidade jurídica”, que é o caso do MST.

Para ele “não deverão ser atendidos invasores de terras (estes devem ser notificados conforme a lei)”.

Como disse O Antagonista “É o fim do diálogo com o MST”.

Com informações da Folha e dO Antagonista.

2 Comentários em Para Governo, MST “não existe” e o diálogo com a entidade é encerrado

  1. ESSA É A ATITUDE QUE SERVE PARA TODOS BANDIDOS FANTASIADOS DE
    MOVIMENTOS SOCIAIS, DEVEM SER TRATADOS COMO CRIMINOSOS COMUNS
    POIS QUEM DESTROI E INVADE PROPRIEDADE PUBLICA OU PRIVADA É
    CRIMINOSO.

Deixe uma resposta