Artistas da Rouanet tumultuam festival de Berlim com gritos de “Ele Não”

Uma trupe de militantes travestidos em artistas brasileiros causou um tumultuo no festival de Berlim. Os gritos de “Ele Não”, “Marielle Vive” e “Lula Livre” são basicamente a única coisa que os artistas dependentes da Lei Rouanet sabem gritar em eventos internacionais.

Os responsáveis pela confusão foram os atores e demais envolvidos na produção do filme “Marighella” que conta a história do terrorista de extrema-esquerda.

Relacionados:  Crítica internacional detona filme do guerrilheiro Marighella

Para o próprio diretor Wagner Moura, o filme foi feito para disputar a “guerra de narrativas” que toma o palco da política brasileira nos dias atuais.

Moura também afirmou que “No filme, Marighella bota bomba, mata americano, faz um monte de coisa. Mas se me perguntar, eu digo que me identifico com os revolucionários”.

Como destacou o MBL “Se trata de mais uma obra para romantizar guerrilheiros terroristas de esquerda usando verba pública, já que a maior parte dos recursos desta obra é advinda do Fundo Setorial do Audiovisual”

Relacionados:  Wagner Moura acusa governo de 'censurar' seu filme sobre Marighella

Informação do MBLNews.