Promotor sobe o tom e diz que Brumadinho deve ser tratado como homicídio

Participante da força-tarefa que apura o rompimento da barragem da Vale em Brumadinho, André Sperling, que é promotor, disse ao Estadão que o caso deve ser encarado como homicídio.

No entanto, somente ao fim das investigações será possível declarar se é homicídio doloso (quando existe intenção) ou culposo (quando não existe intenção), confirma Sperling.

O promotor também afirmou que a parte criminal das investigações está sendo comandada pela Promotoria de Brumadinho, e é  quem será responsável pela palavra final no caso.

Relacionados:  Israel deixa mapas para ajudar bombeiros de Brumadinho

Informações do O Antagonista.