Daniela Mercury é acusada de racismo e apropriação cultural

Sempre disposta a ‘lacrar’, a cantora Daniela Mercury não contava que seria ela o próximo alvo daqueles que ‘lacram’.

A cantora lançou uma música exaltando ‘Wakanda’, a nação africana fictícia, lar do herói Pantera Negra da Marvel.

Um trecho música diz o seguinte:

“A pantera negra, a deusa
A mãe original do mundo
Mãe da única raça
A raça humana
Somos todos filhos da preta

Da preta ancestralidade africana
Filhos da tua nobreza
Filhos da mama Wakanda
Todas as cores de pele”

Porém, segundo o site Bahia Notícias, Mercury foi acusada de racismo e apropriação cultural pelas cantora Larissa Luz, Luedji Luna e Xênia França, do projeto Aya Bass.

“Está na hora de parar de usar de um discurso que não é seu para lucrar. Está na hora de parar de usar de um lugar de fala que não é seu para ganhar. Porque preto de alma não existe! O Brasil é um país que mata, é um país que humilha, um país que condena a cor da pele e não a cor da alma! Quem é preto é preto. Quem não é, não é! A música preta é nossa” afirmou Larissa.

“E a Wakanda também é nossa” completou outra cantora do grupo.

O site MBLNews fez outro questionamento interessante: “Wakanda foi criada pela Marvel, uma editoria de quadrinhos americana. Não seria apropriação por parte delas também? Estão cometendo um “entreguismo” para a cultura negra brasileira para os americanos assim?

Pergunta retórica, claro”.

Informações do MBLNews.