Bolsonaro já nomeou 45 militares para controlar até 21 áreas do governo

Seguindo a bandeira de campanha de valorizar o serviço e o preparo das Forças Armadas na Administração Pública, Bolsonaro já nomeou 45 militares para controlar 21 áreas de atuação no governo.

Além dos militares presentes no primeiro escalão, como o próprio vice-presidente Hamilton Mourão, ou os também generais Augusto Heleno, Carlos Alberto Santos Cruz, Fernando Azevedo e Silva, além do tenente-coronel Marcos Pontos, os militares também estão presentes no “Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte), a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), a presidência da Funai (Fundação Nacional do Índio) e sete ministérios: Secretaria de Governo, Defesa, Minas e Energia, Infraestrutura, GSI (Gabinete de Segurança Institucional), CGU (controle interno e transparência) e Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações” conforme informa Fábio Campana.

Para fins de curiosidade, somente oriundos do Exército são 18 generais e 11 coronéis da reserva, até o momento. E desde a 1985, este é o maior número de militares presentes no Executivo.

O governo segue contando com o apoio da imensa maioria que o elegeu, e que apoia e confia na presença dos militares no governo.