Sergio Moro cria grupo de inteligência para fechar o cerco contra facções em presídios

O ministro da Justiça, Sergio Moro, decidiu criar a Diretoria de Inteligência Penitenciária para reforçar o combate ao crime organizado dentro das cadeias, uma das principais bandeiras de sua gestão. O órgão será subordinado ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e atuará tanto em penitenciárias federais quanto estaduais.

A avaliação do superministro é a de que o trabalho precisa ser intensificado o quanto antes. O foco principal da nova diretoria é investigar e inibir a atuação de facções criminosas nas prisões, já que a maioria dos seus líderes está encarcerada.

Por conta da ampla experiência em combate a grupos do crime organizado, Moro escolheu o delegado Fabiano Bordignon, que foi diretor da penitenciária federal da Catanduvas, no Paraná, e chefe da Polícia Federal em Foz do Iguaçu, para chefiar o Depen, órgão ao qual a diretoria responderá.

É mais um nome de peso da PF do Paraná atuando para liquidar a criminalidade em âmbito nacional.

2 Comentários em Sergio Moro cria grupo de inteligência para fechar o cerco contra facções em presídios

  1. Muito bom. Moro. Se essa Diretoria de Inteligência Penitenciária para reforçar o combate ao crime organizado dentro das cadeias já existisse, Tvz o Ceará não chegasse ao ponto que está.

  2. O PROBLEMA É DE FACIL SOLUÇÃO, UMA ASSINATURA E FIM, ACABAR COM AS
    VISITAS ABERTAS DE ADVOGADOS, POIS SÃO OS ADVOGADOS QUE LEVAM E TRAZEM
    AS ORDENS DOS BANDIDOS DE DENTRO DOS PRESIDIOS PARA SEUS ASSECLAS NA
    RUA, ADVOGADO SÓ PODE FALAR COM SEUS CLIENTES NUM PARLATÓRIO, SEM
    CONTATO COM O PRESO, E ESSE PARLATORIO DEVERA SER FILMADO E AS CONVERSAS GRAVADAS. GRAVAÇÕES ESSAS QUE PODERÃO SER USADAS COMO
    PROVAS EM JUIZO, CONTRA O PRESO E CONTRA ADVOGADO.

Deixe uma resposta