Assista: General Heleno dá aula e cala jornalistas da Globo News

O General Augusto Heleno deu uma aula na Globo News. O comandante do Gabinete de Segurança Institucional e um dos mais importantes conselheiros de Jair Bolsonaro falou sobre a demarcação das terras indígenas.

Logo no início, o general declara que “a Funai não faz com que o índio se sinta um cidadão brasileiro”, e continua afirmando que as terras indígenas foram propositalmente “demarcadas em cima de terras da fronteira, riquíssimas em minério.” Heleno ainda continua e explica que, graças à Declaração de Direitos dos Povos Indígenas – que o ministro declara como “lesa pátria” – com o apoio de alguma ONG internacional, os territórios podem pedir independência do Brasil e ai se “perde um pedação do Brasil”.

Augusto Heleno e outros generais que assumiram cargos no governo de Bolsonaro, são extremamente qualificados e com muita experiência em missões. Conhecem muito bem o território brasileiro e estão aí para contribuir.

Assista:

Precisamos da sua ajuda. Contribua com o trabalho da República de Curitiba: clique aqui

Siga-nos no Facebook

13 Comentários em Assista: General Heleno dá aula e cala jornalistas da Globo News

  1. Cabe à cada cidadão brasileiro contribuir para o crescimento do seu país, respeitando e sendo respeitado por seus direitos constitucionais, contudo visando o desenvolvimento, a inclusão e o progresso da sociedade, e isso inclui os índios também. Que sejam respeitados como cidadãos e filhos dessa nação, e não usados como massa de manobra para atender a interesses ideológicos de partido e de governo nenhum.

  2. O primeiro grande ato de governo do Pres. Bolsonaro, relativo às populações indígenas deverá ser a extinção da FUNAI e a criação de um novo organismo que realmente se preocupe com aqueles povos e não com as riquezas existentes, exploradas clandestinamente por ONGS estrangeiras.Os territórios ocupados pelos índios deverem ser preservados, porém, jamais concedidos aos índios, como uma propriedade particular. Isso é terra de todos os brasileiros, utilizadas pelas comunidades indígenas e só. As riquezas ali existentes pertencem ao governo federal e por este devem ser exploradas, pagando aos povos indígenas ocupantes, a exemplo da exploração petrolífera, uma indenização pecuniária. Afinal, há mais de 400 anos a sociedade brasileira para as despesas geradas com as populações indígenas.
    Quanto aos gringos e garimpeiros clandestinos, CADEIA NELES !!!

    • Quer dizer que se achar petróleo no seu quintal, então vai ser do governo?!?!?
      Estranho, quando era o PT que detinha esse discurso era comunismo, agora mudou é?!?!

  3. Ao contrario, general Heleno revela profundo desconhecimento da matéria indigena e da regiao amazônica:

    1. A invasao do espaço aéreo brasileiro na Amazônia é uma realidade antiga. O sistema de controle das Forças Armadas teria melhorado por ser um dos mais amplos do mundo devido nossa extenção territorial, mas é atrasado em termos tecnológicos. Na década de 1990 obtivemos dos EUA apoio técnico a partir de satélites norte-americanos. Mas as falhas continuam acontecendo na regiao, sendo incapazes mts vezes de identificar aeronaves do tráfico de drogas ou outras, estrangeiras. Na verdade a Amazônia é desprotegida do Estado brasileiro em quase todos os termos: ambientais, sociais, políticos, econômicos etc. A presença de terras indígenas nas regiões de fronteiras, tem sido entendido pelos indigenistas como a melhor barreira de resistência contra invasões de garimpeiros, madereiros, traficantes de animais, ladrões de espécies vegetais e conhecimentos traficionais, além de estrangeiros aventureiros. Eu trabalhei tanto pela FUNASA qto pelo MPF na “orelinha do cachorro” q se refere o general Heleno, e tenho alguns exemplos sobre isso, posso contar em outro post.

    2. O general é desrespeitoso e demonstra desconhecimento dos povos indigenas que visitou, qdo diz ironicamente que é politicamente incorreto tratar etnia como tribo, e que tentou falar com um líder “murubixaba, tuxaua, cacique, sei lá”.

    Ora, ninguem é obrigado a saber de tudo mas uma autoridade deve obter informaçoes precisas e usar termos adequados ao se referir a qquer assunto. Etnia é o termo mundialmente usado desde o fim da 2a guerra mundial a se referir a determinados grupos humanos diferenciados culturalmente. Esse termo científico trazido pela antropologia superou os termos raça, tribo e silvícola porque recobriu o conceito de valores socioculturais, antes recoberto somente de valores biológicos e fenotípicos.

    Os líderes indigenas da regiao da amazônia se afirmam tuxauas, e assim devem ser tratados, nao como murubixabas ou caciques como no Nordeste. Isso nao se trata de politicamente correto, se trata se respeito a identidade étnica do outro. Imagine vc receber uma visita estrangeira em sua casa que resolve lhe chamar de latino-americana o tempo inteiro. Embora vc seja, o termo nao alcança sua identidade que seu nome, seu título ou sua nacionalidade alcançaria.

    3. O tal “murubixaba” falava só inglês? Tbem conheci indios amazônicos que alem de sua lingua materna falavam o portugues, o espanhol e o inglês, até o francês. Isso se deve a aproximaçao com o homem nacional do Brasil, dos países sul americanos e das guianas inglesa, francesa e Suriname, que estao na fronteira com o territorio brasileiro.

    O espanto de general Heleno demonstra desconhecimento dessa realidade, até msm da permissao do Estado brasileiro para a atuaçao de missões religiosas estrangeiras e nacionais junto aos povos indigenas visando a sua evangelizaçao e integração nacional como desejava o regime militar. Ora, essas missões estrangeiras trouxeram aos índios a dependência ao evangelho, aos remédios, a sua lingua e a seus costumes alimentares. Encontrei numa comunidade indigena uma bíblia escrita na lingua ticuna; conheci indios isolados obesos, hipertensos devido ao sal levado pelos religiosos, alem de problemas de cárie e diabetes devido os antióboticos e o açucar.

    Portanto, ao contrario do que diz o general Heleno, aliás discurso antigo e superado, a amazônia nao está abandonada devido a demarcaçao das terras indigenas e a tal proteçao da Funai que nunca aconteceu. Está abandonada devido a historica politica de exclusão do Estado brasileiro da regiao Norte e Nordeste do Brasil.

    4. Tambem há um grande erro da fala do general qdo interpreta o texto da Convençao 169 da OIT (ele chama de Declaraçao de Direitos Indigenas), sendo um risco para a soberania nacional ao possibilitar perder parte do territorio devido a autonomia do povo indigena. Ele dá de exemplo os Yanomami. Desconhece ele o texto da Convençao e da Constituicao Federal, que vedam essa possibilidade. Essa discussao é tb mt antiga e já superada até nos EUA, qdo lá os povos indigenas reunidos numa federacao nos anos de 1980 reivindicaram a independência territorial. Isso ocorreu devido a legislaçao norte-americana permitir a propriedade das terras aos indios. Aqui, a nossa CF determina a posse das terras, sendo a propriedade da Uniao. Alem disso, o texto internacional da Convençao 169 fala da autonomia de identidade e de escolhas dos grupos étnicos, sequer trata da matéria territorial justamente para nao intervir na soberania dos paises signatarios. 🤦🏻‍♂

    5. Entre todas as falas, a pior é a grave acusaçao de que diversas terras indigenas no Brasil foram demarcadas de maneira fraudulenta. A antropologia nacional que identificou e delimitou as áreas indigenas no Brasil, faz sob rigorosos métodos e metodologias cientificas mundialmente desenvolvidas, e é reconhecida pelo mundo civilizado como de alto nível. Nao tenho mt o que comentar essa fala insensata e absurda, apenas ficar em silêncio pra ver o que acontece. 😔

  4. Ele e o Exercito deveriam levar estes reporteres para passar um mês lá na aldeia dos indios.
    E depois uma boa surra para não falarem besteiras.

  5. O legal disso tudo, é que invadir terras indígenas, é para o bem da nação, mas os sem terras são criminosos. Dois pesos, duas medidas.
    Ora, o que está em minha terra é MEU! Só que quando o olho é gordo, daí vira se o mesa, acaba a propriedade privada (cadê o discurso agora?), daí vira bem comum, tesouro da nação, ou seja, o mesmo discurso do comunismo, só que travestido de pseudo cristão conservador. Aí os incautos abraçam a causa de modo a nem se tocarem nas nuances do discurso.
    Até quando vão perecer nas veredas dos homens?

  6. É lamentável o despreparo dos jornalistas brasileiros. Ao que tudo indica, eles sofreram uma lavagem cerebral, já na Faculdade de Jornalismo e ficaram limitados a ver tudo sob um viés ideológico e o que é pior, parecem nem perceber que isso acontece com eles.

  7. Obrigado sim, pela sua aula Ivan.Manda para os mandados pela pauta e ignorantes da Globo News. Sugiro a eles a exposição atual de Claudia Andujar. Esta sim conhece do assunto.

Deixe uma resposta