Procurador defende que alunos gravem professores doutrinadores

Após uma polêmica envolvendo a professora e deputada eleita Ana Caroline Campagnolo que pediu aos cidadãos em nível colegial e universitário que gravassem seus professores doutrinadores fazendo propaganda ideológica em sala de aula, não faltaram opiniões. O próprio presidente eleito Jair Bolsonaro endossou o pedido quanto diversos jornais e páginas em redes sociais alinhadas com o pensamento de esquerda criticaram a medida.

O Procurador Fábio Moraes de Aragão , no entanto, decidiu não só determinar o arquivamento da representação contra Bolsonaro, mas também posicionou-se de maneira favorável, incentivando a medida.

Diz ele: “É louvável que alunos gravem as aulas ministradas por seus professores, quer seja para fins de revisão da matéria, quer seja para constituir prova na eventual hipótese de ilícitos perpetrados em sala de aula”.

Screenshot_20181109-141759_Drive.jpg

Siga-nos no Facebook

2 Comentários em Procurador defende que alunos gravem professores doutrinadores

  1. Concordo plenamente com a decisão do MM. Juiz, eu mesmo fui fazer faculdade aos 57 anos e gravava a maioria das aulas mais complexas, sem nenhum intuito alem da revisão e havia um professor que fazia apologia a esquerda, só que, eu o derrubava toda vez que se manifestava e conversava com meus colegas estra aula explicando as mentiras ideológicas dele, até que o dito professor foi mandado embora da faculdade. Esclareço que foi mero acaso e nada proposital e as aulas que ele ministrava eram sobre teoria do estado, que alias, a maneira deste professor conduzir a aula deixava a maioria dos alunos em duvida.

Deixe uma resposta

error: