Candidatos pró Lava-Jato são eleitos com votações expressivas

As eleições de 2018 estão de longe sendo as mais benéficas para o Brasil. Ao que tudo indica o brasileiro cansou da corrupção e da mentirada proposta por agendas de esquerda que tanto mal fizeram ao país nos últimos anos.

Nomes fortes das campanhas de rua, das lutas contra pautas totalitárias e pró Lava Jato como Janaína Paschoal, que recebeu mais de 2 milhões de votos, ou de Paulo Martins, autor do projeto de lei que tira a obrigatoriedade do imposto sindical e da mais autonomia para o trabalhador cuidar do próprio dinheiro foram eleitos com facilidade.

Ainda sobram nomes como Kim Kataguiri e Arthur do Val, ambos do MBL, Luiz Phelippe de Orleans e Bragança e Marcel Van Hattem e Beatriz Kicis que tanto lutaram pela Operação Lava Jato e pela transparência das relações do governo com os cidadãos.

Por outro lado, diversos nomes de indiciados na Operação Lava-Jato como Beto Richa, Dilma Rousseff e Romero Jucá levaram uma surra do eleitorado.

O Brasil está de parabéns. Só falta se livrar de Fernando Haddad e seu líder, esse já preso.