VERGONHA: Supremo acaba de derrubar o voto impresso nas eleições

O ANTAGONISTA

O STF acaba de derrubar o voto impresso nas eleições deste ano.

Votaram pela suspensão do voto impresso Alexandre de Moraes, Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio, Rosa Weber, Cármen Lúcia, Rosa Weber e Ricardo Lewandowski

Gilmar Mendes, o relator da ação, e Dias Toffoli foram contra e entenderam que cabe ao Congresso decidir sobre o assunto, desde que a impressão seja implementada de modo gradual e conforme a disponibilidade de recursos.

Luiz Fux, presidente do TSE, se declarou impedido,.

O processo eleitoral continuará, portanto, só com o voto na urna eletrônica fraudável.

Siga-nos no Facebook

5 Comentários em VERGONHA: Supremo acaba de derrubar o voto impresso nas eleições

  1. É lamentável que o povo brasileiro tenha pouco estudo e seja ignorante em política, era o caso de ninguém ir VOTAR e depois ver como é que vai ficar.

  2. O ministro Gilmar Mendes relatou usando um voto que tem o objetivo de enganar a todos nós, o povo bobo. Gilmar “saiu pela tangente” tentando esquivar-se da enroscada que se meteu ao não cumprir a lei do voto impresso quando era presidente do TSE, isso é claro querendo ficar bem com o povo. Não foi à toa que os ministros demoraram tanto para voltarem ao plenário, após o voto embromado de Gilmar Mendes. Tudo foi planeja nos bastidores do Supremo Tribunal Federal para impedir o voto impresso. Venceram os corruptos que se candidatarão aos cargos eletivos, os resultados já estão determinados pelos conchaves. A decisão do STF, contra a implantação imediata do voto impresso, com certeza trará prejuízos incalculáveis a democracia brasileira, mas Gilmar Mendes, durante seu voto, chegou a dizer que nós, o povo, estamos pensando que se imprimirá o voto e nós, os eleitores, levaremos “o voto para casa”. Esses ministros consideram nós, o povo, um bando de idiotas. Mas, o que nós, o povo tapeado, poderemos fazer. Vejamos o que o filósofo Montesquieu sugeriria a nós, o povo sofrido para resolvermos essa difícil situação. Charles-Louis de Secondat autor de “O Espírito das Leis” obra que principiou as regras da política moderna, defendia a existência de apenas dois poderes: o poder Executivo e o poder Legislativo. O barão Montesquieu formou-se em direito e mesmo tendo sido presidente do Tribunal de Justiça da França não considerava o Judiciário como um dos poderes, embora não foi isso que veio a prevalecer. Montesquieu dizia: “Qualquer do povo defende sempre mais os costumes do que as leis. ”, para o filósofo Montesquieu as leis não são fruto do capricho ou do arbítrio de quem legisla ao contrário, as leis decorrem da realidade social e da história concreta própria ao povo considerado. O barão Montesquieu afirmava que não existem leis justas ou injustas, o que existe são leis mais ou menos adequadas a um determinado povo e a uma determinada circunstância de época ou lugar. Foi também Montesquieu que classificou de impura a forma de Governo que ele chamou de “demagogia da corrupção da democracia”. Parece-nos que determinadas decisões de alguns ministros do Judiciário destoa completamente do que nós, o povo simples, entendemos por razoáveis. Acreditamos que que somente nós, o povo poderoso, poderemos exigir das autoridades públicas, estejam elas onde estiverem, comportamento conforme o que entendemos por ético, moral, honesto, brioso, distinto, nobre, transparente, justo…, mas o que nós, o povo descrente, poderemos fazer diante da demonstração de tão grande poder por parte de pessoas que pensam e agem como se estivessem acima do plausível? Lembrando Montesquieu, nós, o povo enganado, poderíamos em uníssono exigir sem trégua a aplicação do voto impresso ainda nestas eleições, mas não temos fôlego para isso, afinal nós, o povo cansado, temos que adquirir forças para assistirmos os jogos de futebol da Copa do Mundo que vem por aí. Então o que nos resta? A resposta é simples: nós, o povo poderoso, deveremos eleger os candidatos adequados para ocuparem os poderes Executivo e o Legislativo, pois são esses poderes os quais deveríamos a qualquer tempo compor, mesmo não sendo assim no Brasil, aqui pelo menos podemos manifestar, de vez em quando, nossa vontade soberana, que no caso, acontecerá neste ano. Mas, quem eleger? Nós, o povo desconsiderado, devemos procurar eleger aqueles que não se candidatarão ao mesmo cargo, já seria alguma coisa muito boa, pois a grande maioria dos que se encontram no Congresso Nacional não merecem a consideração nossa, o povo desiludido. Somente conseguiremos dar continuidade ao processo de eliminação dos corruptos, iniciado pela operação Lava Jato, se conseguirmos retirar do Congresso Nacional os políticos indignos que ali se encontram e colocar na presidência da República uma pessoa que realmente tenha as qualidades necessárias para governar de verdade o Brasil, e isso requer necessariamente um indivíduo que tenha coragem e seja muito honesto, somente depois poderemos cuidar do STF. Mas, tudo isso poderá acontecer se o voto eletrônico for confiável conforme pensa o próprio Supremo.

  3. “Puta que pariu” não tenho mais nada a dizer. O escândalo do roubo das eleições. Uma turma de comunistas que não querem a veracidade e a clareza nas eleições; o pior de tudo e que somos obrigado a votar; pra que? STF de merda.

  4. Agora mesmo é que a gente ve .que nada é feito as claras. Ta igual jogar na mega sena os ganhadores sempre de uma região sol. Tudo emganação. Mesmo assim vou anular meu voto. Nenhum desses politicos e partido que tem no Brasi merecel credito. Para mim tudo ladrão. Todos eles devem alguma coisa se não fo po povo deve po partido e é ali por baicho das curtinas aonde o povo não ve. É que moram os verdadeiros bandidos.

  5. COMO DISSE OLAVO DE CARVALHO, NO STF, SÃO UNS ANALFABETOS FUNCIONAIS…SE CONSIDERAR UM INFELIZ DE MINISTRO FUX COMPARAR UMA URNA ELETRÔNICA SER IGUAL A UMA TORRADEIRA, SÓ COMPROVA QUE OLAVO DE CARVALHO ACERTOU NA MOSCA !

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.