Polícia de SP diminui patrulhamento por falta de combustível

FOLHAPRESS:

Um possível colapso de desabastecimento de combustível no estado de São Paulo por causa do protesto dos caminhoneiros levou a Polícia Militar a implantar um esquema especial de racionamento que inclui a redução do patrulhamento pelas ruas.

A cúpula da corporação decidiu tarde desta quinta-feira (24), quando os caminheiros entraram em seu quarto dia de greve, que as viaturas ficarão agora mais tempo estacionadas em pontos de patrulhamento. Normalmente, definido esse ponto de atuação, o veículo da PM fica 40 minutos rodando e outros 20 minutos estacionado. Agora, para economizar combustível, o tempo parado será ampliado em 50%, sendo 30 minutos em ronda e 30 minutos estacionado.

A Polícia Militar de São Paulo tem uma frota de 18.500 veículos espalhados pelo estado, incluindo os Bombeiros.

Outra medida emergencial é a suspensão, até segunda ordem, de todos os serviços burocráticos sem urgência, como entrega de documentos -privilegiando, assim, todo o combustível disponível para o serviço de patrulhamento.

Os carros da corporação são abastecidos em postos comuns, com cartão de abastecimento (como cartão de crédito), mas possuem estoques emergenciais em unidades específicas em cada região do estado. Além disso, o comando das regiões tem contato com as distribuidoras para evitar o desabastecimento da frota. A PM também mantém esquema de escolta para entrega de combustível nos aeroportos.

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.