Sem verbas para pagar ‘militantes’, acampamento pró-Lula encolhe para 70 pessoas

70 apoiadores, este é o tamanho de Lula hoje.

Diz o Estadão:

O zumbido diário do drone da PF é mais um dos barulhos da nova rotina do antes sossegado bairro Jardim Santa Cândida, local arborizado num dos extremos de Curitiba. Desde a chegada de Lula e do grupo de apoiadores, a área virou palco de relações conflituosas.

Do alto, as imagens do drone registram desde o dia 7 de abril o esvaziamento do acampamento – organizado pelo PT e pelo MST e batizado de “Lula Livre”. Nas duas primeiras semanas, após a chegada do ex-presidente, cerca de 500 manifestantes formavam o acampamento, com barracas espalhadas nas ruas do bairro e sobre as calçadas. Com ele vieram o comércio clandestino, a cantorias, os gritos de ordem, o futebol nas ruas, a constante presença policial, os bloqueios de tráfego e a quebra da rotina.

Desde o dia 17, são cerca de 70 pessoas, segundo a organização, que passaram a dormir em barracas em um terreno alugado há 800 metros do ponto principal dos protestos, a “esquina Olga Benário”, como batizaram os acampados o encontro da rua Guilherme Matter com a Dr. Barreto Coutinho. O cruzamento é o marco zero do acampamento, que está bloqueado pelos manifestantes e pelo cordão da isolamento da Polícia Militar – que cumpre ordem da Justiça estadual de interdito da área do entorno da PF.

Siga-nos no Facebook

4 Comentários em Sem verbas para pagar ‘militantes’, acampamento pró-Lula encolhe para 70 pessoas

  1. Estou muito triste! O circo Lula livre está acabando? Senti mesmo que os Senadores Amante e Lindinho bem como o Pimenta estão sumidos. Agora o Rei Moluscão 51(boa ideia) surta de vez, não vai ouvir “bom dia presidente”

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.