Gleisi usou laranjas para dissimular propina, diz Procuradoria Geral da República

Na denúncia apresentada ao STF, a Procuradora Geral Raquel Dodge detalha como parte do dinheiro repassado pela Odebrecht foi parar no caixa 2 da campanha de Gleisi Hoffmann, a presidente do PT.

Com base em provas obtidas no inquérito, a PGR mostra como Gleisi e o seu esposo Paulo Bernardo organizaram o recebimento de propina, por meio de Benedicto Júnior, da Odebrecht, e Leones Dall’Agnol, chefe de gabinete da petista.

“Dos cinco milhões, Gleisi Helena Hoffmann, Paulo Bernardo e Leones Dall’Agnol comprovadamente receberam, em parte por interpostas pessoas, pelo menos três milhões de reais em pagamentos de quinhentos mil reais cada, a título de vantagem indevida, entre outubro e novembro de 2014.”
Para esconder a propina, Gleisi declarou à Justiça Eleitoral despesas inexistentes de R$ 1,8 milhão. Os pagamentos, segundo a PGR, foram feitos a empresas que serviram de laranjas para escoar os recursos e dissimular sua origem.
Contribua com o trabalho da República de Curitiba: clique aqui

Siga-nos no Facebook

2 Comentários em Gleisi usou laranjas para dissimular propina, diz Procuradoria Geral da República

  1. Sorte desses patifes que seus crimes nunca serão julgados, pois o tribunal para onde foram mandados é amicíssimo dos poderosos e garantidor de impunidades mil.

  2. A Procuradoria Geral da República em que pese seu estafante trabalho para colocar esses meliantes na cadeia, enxuga gelo, pois se depender de julgamento por um certo órgão que deveria cumprir com o seu dever e condenar esses sacripantas, ao contrário, protege-os sentando em cima dos processos, em busca da almejada prescrição, tão cara aos bandidos que desfrutam de foro privilegiado, uma excrescência legal que protege os colarinhos brancos.

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.