Alunos da UFFS dão exemplo e 93% se posicionam contra a visita de Lula ao campus de Passo Fundo

Em pesquisa realizada pelo Diretório Acadêmico Rudah Jorge (DARJ), na Universidade Federal da Fronteira Sul, em Passo Fundo, 93% dos alunos posicionaram-se contra a visita do ex-presidente Lula ao câmpus no próximo dia 23.

Segundo o DA, as atividades programadas colocam em risco a integridade patrimonial do câmpus e interferem no funcionamento regular da faculdade. Com base no estatuto da própria universidade os alunos afirmam que “não cabe à UFFS servir de palco para políticos sabidamente em campanha”, sendo ela uma “Instituição Pública, laica e apartidária, ancorada na Constituição da República Federativa do Brasil”.

Para eles, apesar de normais em uma democracia, esses eventos “jamais devem abalar o dever de uma Universidade Pública de exercer suas atividades em prol de interesses particulares e eleitorais.”

Confira a nota na íntegra.

 “O Diretório Acadêmico Rudah Jorge (DARJ), no uso de suas atribuições, vem a público contestar o evento que será sediado nas dependências do Campus Passo Fundo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), na próxima sexta-feira, 23 de março, intitulado “Grande Ato com Lula”, que contará com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O evento é organizado pelo Partido dos Trabalhadores (PT) e promete contar com público considerável de manifestantes contrários e favoráveis ao ex-presidente, centrais sindicais, políticos, movimentos sociais, partidários, entre outros.

 Em pesquisa de opinião assinada por 110 discentes do curso, 93% dos mesmos posicionaram-se contrariamente à realização do evento dentro da UFFS, que trará atividades que impossibilitarão a rotina da Instituição e oferecem risco à integridade patrimonial do Campus. O DARJ entende que, tratando-se de uma Instituição Pública Federal, não cabe à UFFS servir de palco para políticos sabidamente em campanha, seguindo o próprio Estatuto da UFFS que em seu Artigo 6 intitula-se “Instituição Pública, laica e apartidária, ancorada na Constituição da República Federativa do Brasil” e o calendário eleitoral que permite propaganda eleitoral, tais como comícios, apenas a partir de 16 de agosto.

Eventos como estes, cernes da democracia, ocorrem naturalmente no Estado Democrático de Direito brasileiro. Devem, todavia, seguir a legislação que os rege, nos locais e períodos adequados independentemente da vertente política, e jamais devem abalar o dever de uma Universidade Pública de exercer suas atividades em prol de interesses particulares e eleitorais.

 Passo Fundo, 20 de março de 2018.”

 

Siga-nos no Facebook

1 Comentário em Alunos da UFFS dão exemplo e 93% se posicionam contra a visita de Lula ao campus de Passo Fundo

  1. QUERO PARABENIZAR A DIREÇÃO DO CENTRO ACADEMICO DO CAMPUS DE PASSO FUNDO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL, NUNCA SE DISSE TANTO EM TÃO POUCAS PALAVRAS. INSTITUIÇÕES DE ENSINO NÃO DEVEM SERVIR DE PALCO PARA COMICIOS POLITICOS, NÃO DEVEM UTILIZAR INSTITUIÇÕES PUBLICAS PARA REALIZAÇÃO DE EVENTOS PARTIDARIOS, AINDA MAIS COM A PRESENÇA DE PESSOA
    SABIDAMENTE DESONESTA E CONDENADA PELA JUSTIÇA EM SEGUNDA INSTANCIA.

Deixe uma resposta

error: