Propina financiava até IPVA e conta de luz de Gleisi, diz delator

A Veja informa que em depoimento inédito colhido pela Procuradoria-Geral da República, o advogado Marcelo Maran detalhou como dinheiro desviado dos cofres públicos financiou, além das campanhas eleitorais de Gleisi Hoffmann, o conforto da senadora e de sua família.

Segundo Maran, despesas comezinhas da atual presidente do PT e do marido, o ex-ministro Paulo Bernardo, eram bancadas por uma conta-propina abastecida, na ponta, pelo dinheiro do contribuinte. Os gastos incluíam gasolina, taxas de IPVA, conta de luz, condomínio, conserto de liquidificador, brinquedos para seus filhos e pequenos luxos, como motorista particular – informações que ela nega.

A PF descobriu que Gleisi Hoffmann recebeu mais de 23 milhões de reais em propinas, diz o site O Antagonista.

Quem fez a conta foi a Revista Veja, que obteve acesso a todos os inquéritos nos quais a presidente do PT é investigada.

Segue a divisão da propina:

7 milhões de reais desviados do ministério do Planejamento
5 milhões de reais da Odebrecht
10 milhões de reais da JBS
1 milhão de reais diretamente do Petrobras
Gleisi é presidente do PT, ré da Operação Lava Jato e, segundo o MPF, seu codinome é “Amante” nas planilhas de propina da Odebrecht. Gleisi deu perda total.

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta