Juíza nega absolvição de Marisa Letícia e impede recurso ao Supremo

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região indeferiu o pedido da defesa do ex-presidente Lula e negou a declaração de absolvição sumária de Dona Marisa, que morreu em fevereiro do ano passado. Na decisão, a vice-presidente do TRF4, juíza Maria de Fátima Labarràre, também definiu que o caso está encerrado e que os advogados não poderão recorrer aos tribunais superiores.

Marisa era ré no mesmo processo em que Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão pelo TRF4 por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá. Depois da morte da ex-primeira-dama, o juiz Sérgio Moro, responsável pelo processo em primeiro grau, declarou a extinção da punibilidade dela, que é quando se retira a possibilidade de penalizar a pessoa, mas não julgou a inocência ou culpa dela.

A defesa sustentava que a 8ª Turma do tribunal, ao negar a extinção de punibilidade pelo falecimento como causa de absolvição sumária, “violou o princípio constitucional da presunção de inocência”. Assim, recorreu à presidência do TRF4 para poder entrar com recurso especial no Superior Tribunal de Justiça e um recurso extraordinário no Supremo Tribunal Federal.

A juíza rebateu afirmando que a tese dos advogados não corresponde à jurisprudência do STF e do STJ. Segundo ela, “a ofensa ao dispositivo constitucional invocado, ainda que reconhecida, afetaria os preceitos constitucionais somente de modo indireto ou reflexo, sendo a reparação inviável em recurso extraordinário”.

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta