Clubes de vôlei pressionam Confederação Brasileira para que Homens transexuais não participem da Superliga feminina

Clubes participam da Superliga feminina de vôlei estão pressionando a Confederação Brasileira de Vôlei, CBV, para que Tiffany, primeiro atleta transexual brasileiro, integrante do time de Bauru, seja excluído da competição por ter anatomia masculina, mais força física e preparo físico do que as mulheres.

“Todos contra Tiffany e, indiretamente, Bauru. Esse é o cenário atual e o que está acontecendo nos bastidores do vôlei feminino brasileiro.

O blog apurou que o movimento contra a presença da jogadora cresceu nos últimos dias. Foi quando, curiosamente, Tiffany melhorou consideravelmente seu aproveitamento dentro de quadra e ameaçou Praia Clube e Osasco.

Coincidentemente os playoffs se aproximam”, escreveu o jornalista Bruno Voloch.

Contribua com o trabalho da República de Curitiba: clique aqui

Siga-nos no Facebook

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

error:
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.